Os desafios do líder

Verdadeiros líderes são seguidos e admirados não somente pelas suas palavras, mas pelas suas atitudes.



Liderança é um assunto que está sempre em voga em rodas de amigos, reuniões de negócios ou até mesmo em uma simplória conversa fiada. É um tema um tanto quanto polêmico e que rende bons debates.
Alguns dizem que liderança é uma competência que pode ser desenvolvida ao longo do tempo. Outros afirmam ser um dom que nasce em um seleto grupo de pessoas, que poderão ter destaque dentro de uma sociedade que vive na vala comum.
Ser líder não envolve apenas atividades corriqueiras e burocráticas vividas dentro de pequenas, médias e grandes empresas. Liderar não é somente saber lidar com números, metas e desafios, mas, acima de tudo, saber influenciar pessoas.
O que leva muitos líderes à bancarrota é simplesmente a não coerência das suas atitudes perante o discurso que tanto pregam. Poderíamos nos perder na contagem de líderes que dizem lutar pela liberdade de seu povo e o que se vê é uma forma de hipocrisia desmedida. Exercem opressão e chegam a infringir os direitos humanos de um povo tão combalido por causa da realidade em que vivem.
Já tive um líder que vivia pedindo paciência para a equipe, mas era sempre exasperado em suas conversas. Mostrava-se inseguro, impaciente, ansioso. Mal podia controlar seus sentimentos, muito menos ser altruísta e entender a dor alheia.
Existem diversos profissionais que não conseguem ser líderes de suas próprias vidas. Dificilmente, conseguirão ser exemplos de líderes para outras pessoas. Acredito veementemente que liderança tem muito a ver com a forma como você gerencia seus sentimentos. É fácil socorrer aos gritos nos momentos de tensão. Difícil é manter a calma quando o mar está revolto.
Você deve tentar ao máximo gerenciar e dominar seus sentimentos. Caso contrário, se mal administrados, eles o dominarão e poderão levá-lo ao declínio. O líder é mais racional do que sentimental.
"Conhecereis as pessoas com quem convive não por suas ações, que podem ser facilmente planejadas. Conhecereis pelas suas reações, que brotam do mais profundo do seu coração e que dificilmente, conseguem controlar". 
Às vezes, tomados pela raiva, somos capazes de desferir golpes de forma descomunal na alma de nossos colaboradores, que podem passar horas e até meses digerindo nossa atitude tão grotesca. Quando somos insultados, podemos nos exasperar e revelar nossas piores fraquezas. Nessas horas, embora difíceis, é que devemos manter o autocontrole e não deixar os sentimentos de revolta nos dominarem.
Se quer chamar atenção de alguém, faça em  "off". E se quiser elogiar um liderado, faça em público. Essas pequenas atitudes ímpares farão muita diferença no relacionamento com sua equipe.
O verdadeiro líder não usa a força bruta para corrigir seus liderados a ponto de humilhá-los. Ele usa geralmente sua sapiência a fim de corrigi-los e orientá-los. Corrija sem ofender e oriente sem humilhar, é pré-requisito para ser um líder admirado.

No cinema

Se você já viu o filme "Planeta dos Macacos: O Confronto", deve ter se atentado para as inúmeras sacadas de liderança do filme.
Sem spoiler ou qualquer tipo de comentário estraga prazer (para quem ainda não viu o filme), percebi inúmeras sacadas de liderança e administração de crises ao longo dessa megaprodução. No desenrolar da história e como sugere o subtítulo, o que se vê é a constante disputa pelo poder. 
Em meio a socos e pontapés, o espectador imerge inconscientemente em uma briga psicológica pela liderança do bando. Enquanto um dos macacos era dominado pela raiva ou qualquer sentimento degradante, não permitindo que visse a situação de forma diferente, o outro tinha mais consciência de suas atitudes, era complacente com o resto do bando e os encorajava a ver a vida de outra forma.
O primeiro macaco, além de tomado pela raiva, ficou cego pelo ódio. Graças a isso, infringiu o lema do grupo e azedou seu relacionamento com o restante do bando.
O segundo, por sua vez, nutriu amor durante sua vida e sempre foi mais racional que o primeiro, e muito por isso não se deixou levar pelas emoções. Conseguia manter o foco nos momentos de tensão e tomar as decisões mais prudentes em prol do crescimento do bando.
Lembre-se de que o líder é o produto aspiracional da equipe. Ela não somente compra suas ideias, mas, também, compra seu estilo, sua forma de viver e ver a vida. Por isso, afirmo que o líder é bem visto não somente pela eloquência do seu discurso, mas pela coerência de suas atitudes.
Existe uma diferença bem sutil entre aqueles que são exemplos de líderes e aqueles que jamais serão líderes. O primeiro encoraja sua equipe ao passo que o segundo aterroriza, coloca medo, gera frustração e desconforto.
Como dizem no filme, "macacos sempre procuram galhos mais fortes". Ou seja, liderados sempre irão procurar líderes em quem possam confiar e se apoiar.
O autocontrole, é pedra angular para o sucesso tanto na vida quanto nos negócios. 
Liderar é não se deixar dominar pelos seus sentimentos ao ponto de perder o controle da racionalização de suas atitudes.

Leonardo Posich
Leonardo Posich é formado em administração de empresas, pela faculdade Cesusc. Consultor digital em Marketing e Vendas, ex-sócio do Mundo Canibal Games (dos jurássicos da internet Rodrigo e Ricardo Piologo). Estudante voraz de Marketing de Relacionamento (a base de qualquer negócio). Tire suas dúvidas através do e-mail: Leonardo@legalprime.com.br Desenvolve trabalhos na área de registro, proteção e franqueamento de Marcas. Seu principalmente foco, é ensinar como vender mais usando estratégias de internet Marketing. Faça aos outros, aquilo que você gostaria que fizessem por você - Penso, aprendo e logo, ensino!

#Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *