Master coach aponta evolução e desafios do empoderamento feminino

 

sraella Ramalho reflete sobre a igualdade de gênero no mercado de trabalho - O empoderamento feminino e a equidade de gênero em todas as atividades, sejam sociais ou econômicas, fortalecem o impulsionamento dos negócios, o desenvolvimento sustentável e a melhoria da qualidade de vida da sociedade. Com sua garra, a mulher superou desafios e, aos poucos, foi conquistando seu espaço no mercado de trabalho, provando sua capacidade e competência com conquistas lentas, porém constantes e progressivas.

Para refletir sobre o papel da mulher como empreendedora e as dificuldades em assumir a liderança no mercado de trabalho,  a  master coach e treinadora comportamental Israella Ramalho, fundadora do Instituto Ampliatino, apontou o perfil da mulher como gestora, a partir de suas características e qualidades. “Apesar do crescente aumento da participação feminina nos cargos de liderança, elas ainda são a minoria. As mulheres possuem características essenciais como flexibilidade, sensibilidade, intuição, capacidade para trabalhar em equipe e administrar a diversidade. É esse conjunto que faz a diferença”, afirma.  

Neste mês da mulher, Israella Ramalho faz uma reflexão detalhada sobre o papel da mulher como empreendedora, as dificuldades em assumir a liderança, entre outros assuntos.

Quais são as características mais marcantes e únicas das mulheres enquanto empreendedoras? 
Quando nós falamos sobre empreendedorismo feminino, muitas pesquisas e avaliações vão sendo produzidas para entender as mulheres como empreendedoras. Mas neste momento, as características inerentes das mulheres e seus talentos estão sendo ocultados. Sensibilidade, ousadia, auto grau de criatividade, versatilidade, percepção aguçada e flexibilidade são apenas algumas das características inerentes ao gênero feminino que fazem a diferença. 

Ainda é um desafio para elas impor sua liderança nas empresas? 
Este é um ponto bastante delicado, pois ultrapassa as barreiras de comportamento e chega ao cultural. As mulheres naturalmente são líderes, possuem certas características que são exclusivas e que diferencia da liderança masculina atual das empresas. A forma de se destacar é valorizando o que já temos de diferente, as características únicas. Essa é uma maneira de impor a sua forma de liderar e não simplesmente se adequar ao que já estava posto, ao que os homens já vinham fazendo.

Existem grandes diferenças entre as gestoras e os gestores? Quais são elas?
Nós vivemos em uma era onde a matéria prima é a imaginação humana. Sabendo disso, os padrões de gestão e liderança que vinham sendo aplicados (os masculinos), estão ultrapassados. Para sobreviver a neste novo cenário, é importante utilizar essa matéria prima imaginativa do ser humano, para potencializar mais esse crescimento tão desejado e necessário para a empresa. É fundamental promover o equilíbrio entre homens e mulheres na gestão, porque a presença feminina se encaixa perfeitamente no que as empresas precisam, a diversidade de gêneros, talentos e de habilidades nas empresas para promover o desenvolvimento. Com isso,  as lideranças que trabalham de formas diferenciadas. 

Muito tem se falado em "empoderamento" feminino. O que  isso significa? 
O empoderamento feminino já existe há mais de cem anos e está sendo uma evolução. Tudo isso vem evoluindo, passando por diversas fases, umas mais dramáticas, outras menos. Hoje, nós estamos passando por um momento de menos emoção e mais racionalização sobre o assunto. Então, o empoderamento feminino promove o equilíbrio entre os gêneros, onde mulheres e homens praticam as mesmas atividades sociais e econômicas. Tudo isso para garantir que a economia se fortaleça, os negócios sejam impulsionados, a qualidade de vida se equilibre e aconteça o desenvolvimento sustentável. Pensando nisso, a ONU Mulheres e o pacto global desenvolveram os princípios do empoderamento da mulher, que servem como base para que empresas incorporem seus negócios, valores e práticas que visem essa equidade de gêneros. Para evitar a sobrecarga nos homens, que os homens pagam as contas e as mulheres cuida dos filhos, então, a ONU vem lutando bravamente por uma sociedade igualitária. 

Quais são os princípios disso?
Estabelecer liderança corporativa sensível a igualdade de gênero no mais alto nível; tratar todas as mulheres e homens de maneira justa no trabalho, respeitando e apoiando os diretos humanos e não a discriminação; garantir a saúde, segurança e bem-estar de todas as mulheres e homens que trabalham na empresa; promover educação, capacitação, desenvolvimento profissional para as mulheres; apoiar o empreendedorismo de mulheres e promover políticas de empoderamento das mulheres através das cadeias de suprimentos e marketing; promover a igualdade de gêneros através de iniciativas voltadas a comunidade e ao ativismo social; e medir, documentar e publicar os progressos da empresa na promoção da igualdade de gêneros.

Historicamente, as mulheres ainda ganham menos que os homens desempenhando os mesmos cargos e são menos valorizadas como executivas. Qual a saída para mudar esta realidade? 
Para que as mulheres estejam em patamares mais valorizados, assumindo cargos executivos, de liderança nos mais altos níveis de gestão nas empresas e até mesmo sendo donas de empresas, a maneira é fazer com que os homens assumam algumas responsabilidades que antes eram consideradas exclusivamente femininas. Uma discussão que está sendo realizada no senado, é o projeto de lei para que a licença paternidade se estenda.  Então, essa licença parental é muito mais ampla e vai direto ao ponto das necessidades da criança e não direitos do homem ou da mulher. A licença é para que os homens possam participar, compartilhar esse momento especial com sua esposa o nascimento do novo membro da família, fazendo com que sintam mais participativos. O impacto é que hoje como as mulheres ficam ausentes por mais tempo, as empresas, as vezes, optam por contratar funcionários homens para não ter que dar a licença. Essa é uma pequena diferença que vale a pena ser discutida. 

Mesmo após tanta evolução, ainda há preconceito na contratação de mulheres e também na inserção delas nas lideranças nas empresas? 
Ainda há sim preconceito, as mulheres estão mais inseridas quando se fala sobre prestação de serviço. Estão em número muito pequeno na indústria, fazendo com que neste setor especifico passem por mais preconceito ainda. Então, essas mulheres conseguem alcançar patamar forte na indústria superando barreiras fortes, mas na área de serviços as mulheres já tem um espaço considerável. Na verdade, o que precisamos olhar é a superação disso tudo, fazendo com que nossas mulheres estejam preparadas para estar em todos os ambientes. Realizando trabalhos com tanto potencial quanto os homens, sem tirar espaço de ninguém, apenas compartilhando a possibilidade de assumir cargos e salários tão equilibrados quanto os homens.

http://www.paraibatotal.com.br/noticias/2016/03/11/00300-master-coach-aponta-evolucao-e-desafios-do-empoderamento-feminino

Comentários

#Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *