Na classe, o meio ambiente em pauta


Na E.M. Profª Maria Nilza da Silva Romão, em Praia Grande, a professora de história Nadja Ferreira da Silva fomentou o debate sobre ‘sustentabilidade’ com os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), usando reportagens de A Tribuna.
Segundo a educadora, considerando a urgência da temática ambiental e da sustentabilidade, foi priorizada a leitura de reportagens do jornal que levassem os alunos a refletirem sobre o consumo responsável.
“Foi realizado um diálogo em aula expositiva sobre sustentabilidade para que os alunos compreendessem seu significado e urgência do assunto para o mundo contemporâneo. Na sequência, tiveram que encontrar textos jornalísticos que tratavam do tema, entre os vários exemplares do jornal”, explica Nadja.
Ela conta que foi enriquecedor perceber que os alunos compreenderam a proposta e ficaram surpresos ao encontrarem diversas reportagens voltadas para sustentabilidade, educação ambiental, aquecimento global, elevação do nível do mar, meio ambiente e desastres ambientais. “O facilitador para este percurso esteve em trabalhar interdisciplinarmente sem focar algo específico e sim a relação entre homem e natureza”, opina.
DISCUSSÃO
Outros temas entraram na discussão, como a explosão de tanques na Alemoa, a preocupação com o estuário de Santos, a poluição nas praias e a consequência do lixo para os animais marinhos. A partir destas questões os alunos passaram a discutir estratégias e ações voltadas para práticas sustentáveis.
“Dentro das ideias inovadoras foi priorizada a confecção de sacolas de tecidos feitos com pano de prato para comprar pão. Atrelada a proposta em dar uma nova utilidade ao plástico foram confeccionados tapetes feitos com pontos de crochê que servem tanto para decorar o ambiente, quanto de capacho auxiliando na higiene do ambiente”, conta.
Outro material confeccionado pela turma foi uma caixinha de costuma feita a partir de materiais recicláveis como caixa de leite e retalhos, além, é claro, da criatividade. “As alunas confeccionaram para presentear mães, amigas e professores, além de resgatar costumes antigos e a necessidade deste utensílio em nossos dias”.
Segundo Nadja, a avaliação ocorreu de forma contínua observando as interferências que eram realizadas entre os estudantes, desde a escolha das reportagens até a produção da arte final, com respeito à diversidade e às relações interpessoais, além do desenvolvimento da leitura e oralidade que levam a novas reflexões.
“Foi motivador desenvolver o trabalho por acreditar que a educação ambiental deve ser desenvolvida pelo viés da conscientização, levando os alunos a refletir sobre suas atitudes diárias, transformando seu espaço de convívio e levando outros a refletirem da mesma forma”, diz.
 “Considero ter sido enriquecedor desenvolver este trabalho, por fomentar ideias e atitudes positivas diante da vida, além de favorecer e possibilitar a construção da autonomia intelectual dos alunos. Aponto como relevante o fato de serem alunos da EJA que passaram a ter outro olhar sobre o jornal ao relatarem a importância de terem acesso à ele. Esta ponte entre a informação e a escola possibilita que os mesmos tenham acesso ao meio de comunicação e conhecimento dos fatos do cotidiano”, opina.
http://www.atribuna.com.br/noticias/noticias-detalhe/a-tribuna-na-escola/na-classe-o-meio-ambiente-em-pauta/?cHash=fa524b12fa968038c6e3bf74b701d032

Comentários

#Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *