Sexualidade de crianças e jovens em debate

 

O jornalista Miguel Midões fala sobre o primeiro 
Encontro de Sexologia na Pediatria
 
A sexualidade da criança e do adolescente preocupa acima de tudo os pais e é aos profissionais de Saúde, em situações de consulta ou na urgência, que chegam as dúvidas.  Desde cedo que uma criança começa a manifestar tendências sexuais, mas há mesmo casos em que, logo à nascença, o bebé vem com ambos os sexos, ou que apesar de as hormonas indicarem tratar-se de uma determinada sexualidade, os órgãos sexuais apresentam a sexualidade oposta.

Por isso mesmo, uma equipa de profissionais da Urgência do Hospital Pediátrico de Coimbra decidiram criar o primeiro encontro de Sexologia na Pediatria. Ao contrário do que se faz, falar de sexo e da sexualidade deve começar desde cedo, sem preconceito e sem tabus, quer entre profissionais, quer em família. Os primeiros a terem dúvidas são "os pais que chegam à consulta e dizem que a filha é uma maria-rapaz ou que o filho tem certas brincadeiras que os levam a perguntar: será que tem algum problema?", indica Inês Romão, médica que está na organização das Jornadas da Sexologia na Pediatria. Conta que a pertinência do tema começa logo à nascença e dá o exemplo de uma recém-nascida que tinha uma alteração de diferenciação sexual, ou seja, "embora cromossomicamente fosse um 46XX, ou seja era uma rapariga, anatomicamente olhávamos para os genitais e não conseguíamos dizer com toda a certeza o que era".

Diferenciação sexual são situações em que "não se percebe muito bem se é do género masculino ou feminino. Alguns casos, embora haja preocupação dos pais, podem levar uma vida normal".
Do século passado chegam registos de situações de diferenciação sexual e conta a médica que os livros indicam que chegavam a andar pela Europa, a expor a situação, "como forma de ganha-pão de alguns, porque tinham mamas e tinham pénis". E é esta diversidade que pretende ser focada também neste primeiro encontro.

Falar de sexo com uma criança pode parecer precoce, mas fica o conselho: "é importante tendo em conta que as crianças estão expostas a muito material, quer pela televisão, quer pela internet. Não devemos fechar os olhos e pensar que elas são anjinhos e que nada vai acontecer"

O Encontro da sexologia na Pediatria abrange ainda os problemas da adolescência e a transexualidade, métodos de proteção e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. É destinado a profissionais de Saúde, mas abertas ao público em geral.

http://www.tsf.pt/sociedade/saude/interior/sexualidade-de-criancas-e-jovens-em-debate-4924741.html

Comentários

#Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *