Como a internet das coisas cria oportunidades aos empreendedores

 

A chamada internet das coisas promete uma revolução que ainda está por vir, com grandes oportunidades de negócio aos empreendedores antenados e sedentos por inovação. Mais do que conectar você a produtos e aparelhos, a ideia de serviços que antecipam os desejos das pessoas é o que fará a revolução ocorrer. Isso já tem sido constatado em pesquisas de projetos piloto realizadas por vários estudiosos do tema.

Segundo H. James Wilson e Baiju Shah, do Instituto Accenture de Alta Performance, a internet das coisas trata de serviços automáticos, que permitem as pessoas programarem e conectarem tais dispositivos inteligentes onde quiserem. Eles citam exemplos dos tais serviços vivos ou automáticos: você poderia conectar o seu carro ao sensor que abre a garagem, que por sua vez estaria conectado ao termostato que acenderia as luzes da sua casa, tudo sem precisar de seu comando ligando ou desligando algo.

Com o objetivo de entender o que as pessoas esperam da internet das coisas, os pesquisadores analisaram mais de mil plataformas de tecnologia de serviços e quase 280 mil interações com esses dispositivos. O resultado mostrou que os consumidores querem uma internet das coisas que presta serviços personalizados que podem ser adaptados a diferentes contextos. Os dados mostram ainda que os programas da internet das coisas mais utilizados são os que fazem a vida doméstica mais fácil, mais particular ou única e mais agradável.

Outro achado interessante é que as pessoas preferem serviços que não as obrigam a mudar sua rotina ou alterar o caminho que estavam percorrendo para fazer alguma coisa funcionar, ou seja, querem algo o mais automático possível, sem que você precise pensar a respeito.
Em relação às interfaces, as pessoas também preferem aquelas que sejam menos visíveis, sem necessidade de interagir em uma tela de tablet, por exemplo. Elas não querem digitar nada ou interagir com um dispositivo, mexer nas configurações etc. Querem tudo automático e inteligente, decidindo por elas.

Com base nesses resultados, os empreendedores atentos podem trabalhar em ideias para transformá-las rapidamente em oportunidades de negócio. Ideias como tecnologias de segurança da casa, monitorada remotamente, podem ser aperfeiçoadas. Outra ideia advinda da análise dos dados da pesquisa é o interesse das pessoas nos aplicativos que quantificam os dados sobre a história de si mesmas. Elas querem saber como se comparar às outras pessoas em termos de inteligência emocional, índice de massa corporal etc.

Para finalizar, mas não concluindo as possibilidades, há muito o que desenvolver criativamente para melhorar as experiências diárias. Por exemplo, como citam os pesquisadores, um escritor que gosta de aumentar o seu foco com a música clássica e iluminação natural não terá que fazer isso manualmente.
Como se percebe, basta divagar um pouco sobre o que você gostaria em termos de experiências que facilitem sua vida, observar se outros querem o mesmo e, quem sabe, uma oportunidade é identificada. Fica aí uma sugestão para você encontrar sua próxima ideia de negócio!

José Dornelas

José Dornelas é especialista em empreendedorismo, presidente da Empreende e autor do best-seller "Empreendedorismo, transformando ideias em negócios." http://www.josedornelas.com.br/
 
http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/colunistas/jose-dornelas/2015/11/09/como-a-internet-das-coisas-cria-oportunidades-aos-empreendedores.htm

Comentários

#Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *