Galerias lotadas para discutir a seca em Pernambuco

Representantes de várias entidades como a Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Fetraf) participaram da audiência. Foto: Tháis Arruda/ DP/ DA Press

Galerias lotadas no plenário da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) na audiência pública realizada para discutir a seca que atinge Pernambuco. Representantes de várias entidades como a Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Fetraf), ligada à Central Única dos Trabalhadores (CUT) estiveram presentes à reunião, que contou também com a participação de representantes da Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac), governo do estado, do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), sindicatos rurais, movimentos sociais entre outras entidades. 


O Presidente da APAC, Marcelo Asfora, comentou que o assunto precisa ser discutido com medidas de análise do período de plantação para melhoria nos resultados da colheita. "A agricultura, em meio ao período de seca, precisa ser analisada primeiro de acordo com um estudo de quais meses são propícios para a plantação. Se vamos plantar nos meses de abril, maio ou junho, temos que pensar qual deles será ideal ao clima. Além disso, é preciso levar em consideração fenômenos como o El Niño, que influencia diretamente na questão climática da região.’’

De acordo com o DNOCS, Pernambuco é o estado mais afetado pela seca no Nordeste. A estiagem já colocou diversos reservatórios de água em colapso, principalmente, em cidades do Sertão e Agreste. Segundo o secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Nilton Mota, são 126 municípios afetados em Pernambuco, sendo 56 já com reconhecimento do Governo Federal e 70 ainda em análise - isso equivale a cerca de 1,3 milhão de pessoas afetadas com os efeitos da estiagem.

A proposta de audiência foi apresentada por meio de requerimento pelo deputado estadual Miguel Coelho (PSB), presidente da Comissão de Agricultura da casa. Segundo o parlamentar, a seca deixou de ser um problema isolado do Sertão e está atingindo diversas regiões do estado e se agrava com o prolongamento do quarto ano consecutivo de estiagem. Mais de 110 municípios pernambucanos estão sofrendo com algum tipo de racionamento e mais de 20 barragens estão operando com o volume morto.

http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/vida-urbana/2015/03/16/interna_vidaurbana,566443/galerias-lotadas-para-discutir-a-seca-em-pernambuco.shtml


Comentários

#Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *