Strauss-Kahn diz ter sexualidade mais 'brutal' que a maioria

O ex-diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss-Kahn, de 65 anos, que responde a um processo por proxenetismo agravado, disse, durante seu segundo dia de depoimentos, ter "uma sexualidade mais brutal que a dos demais homens ".    
"Tive esse tipo de relações sexuais com muitas mulheres. Algumas podem achá-las rudes, outras podem apreciá-las, mas isso não tem nada a ver com prostituição", disse.    DSK, como é conhecido na França, testemunhou após duas mulheres que o acusam de as ter forçado a manter "relações brutais". Uma delas ainda revelou que não era possível que não soubesse que era prostituta, como alega.    
Ele admitiu, no período das investigações preliminares, ter se desculpado com uma delas, identificada como Jade, por ter entendido "o quanto aquela relação a havia trasnstornado", o que não se deu conta no momento. Strauss-Kahn, que era considerado o candidato favorito à Presidência da França em 2012, está sendo julgado com mais 13 pessoas no chamado "Caso Carlton", onde responde pelos crimes de exploração e envolvimento numa rede de prostituição.    
Ele é acusado de organizar entre 2008 e 2011 orgias em hotéis de luxo na França e na Bélgica com a participação de prostitutas.
http://www.jb.com.br/internacional/noticias/2015/02/11/strauss-kahn-diz-ter-sexualidade-mais-brutal-que-a-maioria/

Comentários

#Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *