Budistas radicais: a face mais violenta da religião mais pacífica



O budismo é uma religião que prega a paz e a harmonia ou pelo menos era assim até que no Sri Lanka um grupo radical optou por aquecer seu discurso, e com isso esquentar o clima nas ruas, ao falar da prevalência de sua fé, embora hoje estejam no olho do furacão e alguns relacionem o sucesso do novo governo ao seu fim.

O grupo Bodu Bala Sena (Budistas Poder Força - BBS), uma formação ultranacionalista com roupas em tons de amarelo e alaranjado, estava descontrolado: essa foi uma das acusações que pesaram para que o anterior Executivo de Mahinda Rajapaksa ficasse sem o apoio das minorias religiosas e elas se alinhassem eleitoralmente com o novo presidente, Maithripala Sirisena.

O BBS se tornou conhecido há alguns meses quando a violência incendiou as ruas de duas cidades do sul da ilha, uma delas Aluthgama, com um saldo de quatro mortos e 16 feridos em enfrentamentos entre budistas e muçulmanos. Hoje, o secretário-geral do BBS, o monge Galagoda Atthe Gnanasara, nega essas acusações e garante que é tudo é culpa da imprensa local e internacional e dos grupos extremistas muçulmanos que expandiram esta propaganda errônea pelo mundo.

Gnanasara  afirma que não têm problemas com os muçulmanos moderados, mas ressalta que o extremismo fundamentalista está crescendo no seu país de forma secreta. Os números, no entanto, não dão lá muito a razão a ele. Atualmente, no Sri Lanka os budistas representam 70% da população, enquanto os hinduístas são 15%, os muçulmanos 11% e os cristãos - entre os que BBS também vê radicais - apenas 7%.

http://noticias.r7.com/internacional/fotos/budistas-radicais-a-face-mais-violenta-da-religiao-mais-pacifica-10022015#!/foto/5

Comentários

#Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *