Pular para o conteúdo principal

UFMA terá que entregar Casa do Estudante; acordo encerra protestos

Decisão foi acordada em reunião realizada nesta quinta-feira (5). Casa Estudantil dentro do Campus passará ainda por uma vistoria.
MPF/MA, UFMA e estudantes assinam acordo (Foto: Divulgação/MPF)
Após cinco horas de reunião, realizada nesta quinta-feira (5), representantes dos universitários, reitoria da Universidade Federal do Maranhão ( UFMA ), Defensoria Pública do Maranhão (DPE), Comissão de Direitos Humanos da OAB e Ministério Público Federal (MPF), ficou decidido que a universidade  atenderá às reivindicações dos estudantes e  implantar a residência universitária no prédio já construído dentro do campus para esta finalidade, caso haja manifestações favoráveis do Ministério da Educação (MEC) e da AGU e viabilidade financeira. Após o acordo ser firmado, os estudantes concordaram em encerrar os protestos.
Por telefone, Tamires Morais, representante do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFMA, disse ao G1que o protesto será suspenso na manhã desta sexta-feira (6). “O acampamento ainda permanece na noite de hoje (quinta), mas logo pela manhã, desocuparemos o prédio. Antes disso, faremos a limpeza do local, para, em seguida, conceder entrevista coletiva lá no Hospital Universitário, onde os estudantes que fazem greve de fome estão internados”, completou. A entrevista coletiva está prevista para as 9h.
Além disso, deverá ser implantado um sistema de inscrição para moradia estudantil, com inscrições abertas durante todo o ano, e manter os serviços de conservação do local, em caráter permanente.
O Ministério da Educação (MEC) e a Procuradoria da UFMA deverão se manifestar sobre a viabilidade da ocupação do prédio do campus, e realizar uma vistoria com a participação dos estudantes interessados e de engenheiro civil, a fim de apresentar os custos necessários à adaptação do imóvel para moradia.
Ata da reunião desta quinta-feira (5)
Para o procurador da República Alexandre Soares “foi possível atender aos interesses dos estudantes e da universidade e o principal protagonista dessa conciliação foram os estudantes”, afirmou.
G1 tentou por várias vezes contato com a reitoria da UFMA. Mas até a publicação desta matéria, não conseguiu falar com o reitor Natalino Salgado ou representante legal da universidade.


Entenda 
No dia 26 de novembro, o estudante Josemiro Oliveira,  acorrentou-se ao prédio onde deveria ser a Casa, dentro das dependências da UFMA. Ele fez greve de fome até que os representantes da Casa fossem recebidos em reunião na Reitoria. Josemiro, que é do município de Presidente Dutra, é um dos moradores da casa de estudante. Ele afirmou que só encerraria o protesto quando o reitor Natalino Salgado "devolvesse" a Casa do Estudante.

No sábado (30), o estudante foi levado para o hospital após cinco dias em greve de fome. Em seu lugar, outro universitário acorrentou-se ao prédio dando continuidade ao protesto. 
Desde então, por duas vezes, a Avenida dos Portugueses – que dá acesso à UFMA, foi bloqueada pelos universitários e entidades que aderiram ao movimento.

A reunião desta quinta-feira ocorreu logo após o último bloqueio feito pelos manifestantes.

Comentários

#Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *