Pare o Estupro Corretivo

"Não podemos permitir que mais uma praga de prática desumana se alastre em nossa sociedade" Mary Anne Noglim - Presidente CEDEESPE
ÁFRICA DO SUL
Estupro corretivo é uma prática criminosa, segundo a qual um ou mais homens estupram mulheres lésbicas ou que parecem ser, supostamente como forma de "curar" a mulher de sua orientação sexual.
O termo "estupro corretivo" foi usada pela primeira vez no início de 2000 por direitos humanos de organizações não-governamentais para descrever esses estupros cometidos contra Sul Africanas lésbicas. Um ataque notável deste tipo ocorreu em 2008, quando Eudy Simelane, um membro mulher da equipa nacional de futebol da África do Sul e uma representante LGBT ativista dos direitos humanos na África do Sul, foi estuprada e assassinada em KwaThema, Gauteng.
Um relatório de novembro de 2008 feito pela ONG ActionAid e pela Comissão Sul Africana de Direitos Humanos pediu a criação de uma legislação que visam especificamente os crimes de ódio, incluindo a violação correctiva.

Está circulando na internet uma abaixo assinado contra este crime, com o seguinte comunicado:

Ao Presidente Zuma da África do Sul e Ministro Radebe:

Nós pedimos que os senhores condenem publicamente o estupro corretivo, criminalizando crimes de preconceito imediatamente, implementando educação pública e proteção às vítimas. Esta prática terrível deve acabar através da liderança do seu gabinete e de todo o governo.
 Verifique maiores informações no link: http://www.avaaz.org/po/stop_corrective_rape/

BRASIL

No Brasil a situação não está distante, recentemente tivemos um caso em Alagoas, verifique a reportagem publicada no mês de Novembro de 2012.

A Lésbica Fernanda Albuquerque passou por momentos de terror na noite do ultimo sábado 27, em Maceió. A mesma foi abordada por um motoqueiro, que invadiu sua residência e tentou estuprar a mesma, após várias mordidas, arranhões e agressões físicas, além de afirmar que “mostraria a ela como seria bom ser mulher”. Fernanda reagiu e conseguiu sair da casa pedindo socorro aos vizinhos, o criminoso fugiu com medo de ser linchado. A polícia foi chamada por dos vizinhos , mas não apareceu no local.

Estupro corretivo é uma prática criminosa, segundo a qual um ou mais homens estupram mulheres lésbicas ou que parecem ser, supostamente como forma de “curar” a mulher de sua orientação sexual.
Este é o 4º caso de violência gratuita praticada contra LGBT em Alagoas, no mês de outubro. O primeiro foi em Delmiro Gouveia, que resultou em assassinato, o casal Allysson e Eduardo, em Maceió sofreram tentativa de assassinato, com 10 disparos, autoria de um suposto Policial Militar do BPtran e por ultimo o caso de Fernanda.

Segundo Dino Alves – Diretor Geral da Ong Pró-Vida, o “estupro corretivo” é baseado na noção absurda e falsa de que lésbicas podem ser estupradas para “se tornarem heterossexuais”, está é uma batalha da pobreza, do machismo e da homofobia. Acabar com a cultura do estupro requer uma ação, para assim trazer mudanças que contribua no combata essa prática criminosa. Com informações da Gazetaweb.
Fonte/Dados:
Wikipédia
site:  http://www.doistercos.com.br/lesbica-sofre-tentativa-de-estupro-corretivo-em-alagoas/

#Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *