Evangélico que fingiu ser gay por um ano virou ativista pró-LGBT

Timothy Kurek (centro) agora é ativista pelos direitos LGBT. Gays que conviveram com ele estão furiosos por terem sido enganados
“Agora eu sei o que é viver como um cidadão de segunda classe”. Essa é uma das definições do evangélico e ex-homofóbico Timothy Kurek após ter fingido por um ano ser homossexual. A farsa inclui dizer para a família que ele era gay e ter arranjado emprego em uma lanchonete para gays. Kurek nega ter feito sexo com homens.
 
A experiência foi vivida em sua cidade-natal, a conservadora Nashville, no Tennessee, EUA, e agora é contada no livro “The Cross in the Closet” (A Cruz no Armário). A idéia da farsa veio depois de uma amiga lésbica ter contado a Kurek que foi expulsa de casa por ser homossexual. Ele diz hoje que, na hora, sugeriu a ela que se transformasse em hétero. Mas aí, decidiu ver como era a vida um gay.
 
A transformação foi radical! Parte da renda do livro vai para a causa LGBT e a mãe de Kurek, que admite estar feliz com o fato do filho ser heterossexual “de novo”, agora luta pela causa arco-íris e bate de frente com os pastores locais. Quem não está gostando da revelação são os homossexuais que conviveram com ele. Todos estão se sentindo enganados. Bom, talvez, o consolo seja: não há como fazer uma gemada sem quebrar os ovos!

#Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *