Em vídeo, Malafaia acusa Haddad de preconceito e declara voto em Serra

Em vídeo, pastor Malafaia diz não ser o dono do voto dos evangélicos. Foto: Reprodução
Depois de ter dito que iria "arrebentar" o candidato petista à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, o pastor Silas Malafaia voltou a atacar o petista e reafirmou seu apoio a José Serra e seu direito à livre expressão, em vídeo publicado na internet. "Não vim aqui dizer que Serra é perfeito, tem defeitos, tem limitações, mas tem uma história limpa e sou livre para declarar meu voto em Serra".
 
Confira quanto ganham os prefeitos e vereadores nas capitais brasileiras
O pastor ainda acusou Haddad de preconceito contra os evangélicos. "Para o senhor Fernando Haddad o que tem valor é opinião de humanistas, ateístas e a marxistas. Ele, coma a sua fala, nos trata com cidadãos de segunda ou terceira a categoria. É bom para você que professa qualquer religião, evangélico, católico, espírita, ver o que ele professa. Seu Fernando Haddad, quem tentou instrumentalizar políticos é gente que você anda de braço dado e que foram condenados agora no STF", atacou Malafaia.
O líder também respondeu a acusação de Haddad de que estaria sendo usado por Serra para atacar o petista e garantiu que não se manifesta pela Igreja. "Quero dar uma resposta ao candidato Haddad quando deu uma declaração estúpida ao dizer o candidato José Serra está instrumentalizando a religião contra ele. Não sou moleque de recado de candidato de ninguém, tenho convicções e falo segundo as minhas convicções. Não sou dono do voto dos evangélicos, sou um dos lideres evangélicos que influenciam. As pessoas precisam entender que estamos em um estado democrático de direito e qualquer as pessoas é livre para manifestar opinião, independentemente de convicção filosófica, política ou religiosa", disse Malafaia.
"Nunca usei Deus para dizer que um candidato é do diabo e outro de Deus. Nunca uso igreja, igreja não tem titulo de eleitor, igreja não vota. Tanto pra católicos, como para evangélicos, igreja é uma instância espiritual acima disso. Quando eu estou falando é como cidadão. (...) Igreja não apoia ninguém, quem apoia sou eu", afirmou.
 
Ataques ao kit anti-homofobia e à gestão de Haddad
Ao se declarar eleitor de Lula, Malafaia disse ser reconhecido pelos petistas e voltou a criticar a iniciativa do kit-antihomofobia, desenvolvida durante a gestão de Haddad no ministério da Educação. "O senhor Fernando Haddad não abriu a boca para se explicar sobre o kit-gay. Não é kit anti-homofobia não, ali é para ensinar homossexualismo nas escolas, o senhor entregou a ativistas gays, não entregou a educadores. O senhor deu grana pesada ativistas gays fazerem esse lixo moral para ensinar homossexualismo. Sou a favor de um kit pra ensinar crianças a tolerar homossexuais, religiosos, gordinho, magrinho, negro, branquinho".
Na sequência, o pastor critica o trabalho de Haddad no ministério. "A prova do seu erro e da sua mediocridade é que a presidente Dilma proibiu (o kit anti-homofobia) e eu pergunto ao povo inteligente de São Paulo, como é que vocês colocam um cara desses para ser prefeito de uma cidade, um cara que se esconde e que não coloca a cara pra fora. O senhor como ministro da Educação foi um dos piores do país. O senhor não teve competência para coordenar o Enem e quer ser prefeito dessa locomotiva que é São Paulo. isso é uma piada", bradou o pastor. O candidato Fernando Haddad, por meio de sua assessoria, disse que não irá se manifestar sobre os ataques do líder evangélico.

#Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *