As traquinagens da modernidade na religião

Na sociedade moderna, de forma geral, nos deparamos por um crescente surgimento de novas religiões e denominações. Atrelado diretamente a isso está também o fluxo corrente de pessoas entre essas novas religiões. De acordo com as observações feitas durante o período de pesquisa, verificamos que a Igreja Mundial do Poder de Deus (IMPD) é uma das muitas igrejas que estão nesse caminho por onde as pessoas passam. Essa igreja surge da cissiparidade com a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), resultado de um possível conflito entre Valdemiro Santiago (fundador da IMPD) e Edir Macedo (fundador da IURD).
Essas igrejas possuem traços que são comuns a todas as igrejas neopentecostais, sendo mais visada pela população e mais divulgada pelas igrejas a tríade cura/ exorcismo/ prosperidade. No caso da IMPD, existe uma ênfase na cura divina. Programas de TV e de rádio, jornal e livros enfatizam os testemunhos dos fiéis que foram curados após receberem a oração de Valdemiro Santiago e de seus pastores.
O exorcismo tem uma importância fundamental no neopentecostalismo. Ele é o responsável pela libertação das pessoas daquilo que lhes causa mal, e também é a chave para que as portas da prosperidade sejam abertas. Ou seja, se as pessoas têm doenças, estão desempregadas, desmotivadas, têm dependência química, é porque, possivelmente, estão possuídas pelo demônio. Todos os males biológicos, psicológicos, sociais, entre outros, são causados pelas forças do mal, por aqueles que adoram o demônio e não têm uma vida regrada nos ensinamentos de Deus e da Igreja. Essa ideia vem acompanhando a evolução do cristianismo ao longo dos anos. O demônio existe, é causador do mal, qualquer pessoa está sujeita às suas ações, e se a pessoa não consegue nada próspero na sua vida, é por causa dele.
As religiões neopentecostais, de forma geral, tendem a demonizar elementos das religiões afro-brasileiras e espíritas. Durante as décadas de 1970 e 1980, as denominações pentecostais ganharam maior visibilidade
O exorcismo vem acompanhando a evolução do pentecostalismo ao longo dos anos. Ele é o responsável pela libertação das pessoas causadoras de males e também é a chave para que as portas da prosperidade sejam abertas
LIBERTAÇÃO DO MAL
Na IMPD, o exorcismo é tratado de forma diferente, e é chamado de "libertação", assim como na Renovação Carismática Católica. A libertação pode ser individual ou coletiva. A forma individual se dá por meio de orações entre o pastor e o fiel. O pastor profere máximas, pedindo a Deus que afaste todos os males da vida daquele fiel, entre eles maldição e macumbaria. A libertação coletiva acontece nos cultos dedicados à cura divina, e o pastor ou bispo ora por todos que estão ali. O dirigente do culto chama à frente as pessoas que desejam algum milagre, faz um momento de oração pedindo a Deus que intervenha na vida daquelas pessoas, e logo depois inicia o ritual de libertação.
As religiões neopentecostais, de forma geral, tendem a demonizar elementos das religiões afro-brasileiras e espíritas: os males da vida encontram sua origem em Satanás e seus demônios, que estão travestidos pelos exus e pelos espíritos
De acordo com Almeida (1982), as religiões neopentecostais, de forma geral, tendem a demonizar elementos das religiões afro-brasileiras e espíritas. Durante as décadas de 1970 e 1980, as denominações pentecostais ganharam maior visibilidade no campo religioso brasileiro, e como estas tinham grande ênfase na batalha espiritual contra as outras denominações religiosas, as afro-brasileiras e espíritas se tornaram os inimigos número 1 das igrejas neopentecostais. A libertação (ou exorcismo) é peça central da dinâmica dos cultos, uma vez que os males da vida encontram sua origem em Satanás e seus demônios, que estão travestidos pelos exus e pelos espíritos. O desemprego, a miséria, a crise familiar são, quase sempre, de origem maligna. O exorcismo, sob intervenção do pastor, expele as forças satânicas do corpo do crente restituindo a saúde mental e corporal. A IMPD não tem um discurso claro que atribua exus e entidades à ação demoníaca. Contudo, fala-se em trabalhos de macumbaria no momento das orações individuais e coletivas.
As igrejas neopentecostais dão uma identidade ao diabo, retirando-o da subjetividade do universo pentecostal e colocando- o em um plano objetivo. Assim, o diabo se faz presente não só na pessoa, como também no ambiente, e todos podem vê-lo, pois o possuído deixa de agir por conta própria e passa a ser controlado pelo diabo. Não é a pessoa quem age, suas palavras e seus atos são do próprio diabo. De certa forma, podemos dizer que o diabo é peça-chave para a existência do neopentecostalismo. Uma vez que a sua proposta é o combate sistêmico a Satanás e seus demônios, ele próprio não existiria sem a presença dos demônios na vida das pessoas.
Religiões afrobrasileiras » são consideradas religiões afro-brasileiras todas as religiões que foram trazidas para o Brasil pelos negros africanos, na condição de escravos. Ou religiões que absorveram ou adotaram costumes e rituais africanos, entre elas: Babaçuê (MA), Batuque (RS); Cabula (ES, MG, RJ e SC); Candomblé (todos os estados); Encantaria (AM, PA, PI, MA), Terecô (MA), Umbanda (todos os estados) etc. A maioria está relacionada com a religião yorubá.

#Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *