Aula inaugural marca início do Pré-Vestibular Quilombola

Cursinho acolhe estudantes de mais de 40 comunidades quilombolas da região


Vinte e um de março, uma data mais que oportuna e especial para realizar a aula inaugural do Pré-Vestibular Quilombola de Vitória da Conquista – uma iniciativa que visa dar à população negra acesso ao Ensino Superior – e começar a jornada de estudos de muitos alunos que esperam, por meio da educação universitária, escrever um futuro melhor. A data foi escolhida pela Organização das Nações Unidas/ONU, desde 1960, como o Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial.

E foi com uma das principais expressões de africanidade: os sons do tambor e das vozes das mulheres que fazem parte do grupo de samba de roda Negras do Beco, localizado no bairro Pedrinhas, que a aula teve início. Para aprender ensinamentos tão importantes e culturais, o auditório da Agência Municipal de Desenvolvimento, Trabalho e Renda/ADTR, na manhã desta quarta, 21, ficou repleto de alunos e ex-alunos do cursinho.

Representando na oportunidade o prefeito de Vitória da Conquista, Guilherme Menezes, o secretário municipal de Governo, Edwaldo Alves, disse: “Neste momento em que celebramos a aula inaugural, tenho a esperança de que muitos que estão aqui vão fazer essa semente crescer cada vez mais. A cada aluno que entra na universidade não é uma vitória pessoal, é uma vitória de todo o povo negro. Hoje, a cor da universidade está mudando. Ano que vem estaremos lendo, aqui, o nome de mais jovens quilombolas que entraram na universidade. Muito sucesso e estudo para vocês”.

A Prefeitura de Vitória da Conquista é a maior parceira do Pré-Vestibular Quilombola, por meio das secretarias municipais de Governo, Desenvolvimento Social (via o Núcleo de Promoção da Igualdade) e de Educação (via a Coordenação de Transportes). Na oportunidade, a secretária municipal de Desenvolvimento Social, Nádia Márcia Campos, destacou o cursinho como um agente de mudança e transformação social. “Pra nós, é uma alegria muito grande participar, ser parceiro dessa proposta que é uma proposta da sociedade civil, mas tem sido abraçada pelo Governo Municipal. Temos o desejo de que outros representantes de quilombos possam adentrar a universidade e possam fazer parte de um mundo que discuta e contribua para o desenvolvimento social do município de Vitória da Conquista”, afirmou.

Convidado para palestrar sobre “Direitos Quilombolas: da identificação à reparação”, o coordenador das Ações para as Comunidades Remanescentes de Quilombos no Estado da Bahia, João Lopes, – que representou, no evento, o secretário de Promoção da Igualdade Racial, Elias Sampaio, – ficou satisfeito com o cursinho. “Vejo-o como uma iniciativa absolutamente necessária. Nós, negros, para competirmos em situação de igualdade, precisamos trabalhar com o princípio da equidade. Ou seja, além das cotas, temos também de nos preparar para o pré-vestibular e termos a oportunidade de disputar os cursos de nível superior que vão nos possibilitar entrar no mercado e aos poucos ir diminuindo essa diferença gritante”.

O coordenador deixou ainda uma mensagem para os alunos: “Não desistam nunca, por maiores que sejam os obstáculos. É preciso que esses que já estão aqui sejam exemplos para aqueles outros negros que vêm atrás, para que a gente possa contribuir para a redução da desigualdade, a partir da nossa ascensão, para capacitação dos negros, para que a gente tenha um país mais justo e menos desigual racialmente”.

Alunos comprometidos – Com quatro anos de existência, o Pré-Vestibular Quilombola contribuiu para a inserção de mais de cem quilombolas de comunidade reconhecidas e identificadas (em processo de reconhecimento) de Vitória da Conquista e região nas universidades estaduais e federal da Bahia. “A gente inicia mais um ano com a certeza de muitas vitórias no final. Em cada processo seletivo, a gente tem uma média de 15 aprovados. Com a experiência que adquirimos, desde 2009, temos certeza de que, este ano, teremos muito mais jovens aprovados”, contou a coordenadora pedagógica do cursinho, Maria do Alívio Trindade.

Quem espera fazer parte da lista de aprovados deste ano é a jovem de 19 anos, Soraia Oliveira, do povoado de Oiteiro, que pela primeira vez faz parte do Pré-Vestibular Quilombola. A estudante que quer prestar vestibular para Direito, salientou: “Acho o cursinho muito interessante. Vai me ajudar muito no futuro, no vestibular. É um bom começo. Eu quero me formar em Direito, pretendo que dê certo”.

Aos 18 anos, Mozânia Guimarães é outra estudante que espera obter um bom desempenho no vestibular. Moradora do povoado de Lagoa de Melquíades, Mozânia quer cursar Letras e demonstra bastante confiança na base educacional que o Pré-Vestibular vai proporcionar. “O cursinho vai me ajudar muito no vestibular e eu pretendo passar logo de primeira. Me esforcei muito pra chegar aqui e não vou desistir. Com certeza, daqui a uns dias eu volto aqui pra dizer que passei e fui aprovada, graças a Deus”.

Ambas as alunas se inspiram em exemplos como o do jovem Maurício Barbosa. Ele participou do cursinho durante o ano de 2010 e foi aprovado, no ano passado no curso de Agronomia da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/Uesb. Hoje, está no segundo semestre do curso e destacou: “O cursinho foi importante porque quando eu estava terminando o Ensino Médio, eu estava sem perspectiva do que ia fazer quando terminasse. E o cursinho foi bastante proveitoso pra mim. Se eu fosse fazer outro cursinho eu não sei se teria condições financeiras. O ensino é de qualidade e foi muito gratificante pra mim, porque temos aula de cidadania e consciência negra pra reavivar as origens das comunidades quilombolas. É uma grande porta pra entrar na universidade e alcançar o curso desejado”.

Além de integrantes da equipe do Governo Municipal, participaram da aula inaugural o integrante do Núcleo de Promoção da Igualdade Racial, Flávio Passos; os representantes dos professores voluntários, dos pais e dos alunos cotistas do cursinho, Eugênio Santos, Robéria Rocha e Eliane Muniz; e o diretor em exercício do Instituto Federal da Bahia/Ifba, Durval Almeida.



Fotos: Arthur Garcia/Secom PMVC

Comentários

#Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *